Responsabilidade Social Empresarial

RSE

A Responsabilidade Social Empresarial (RSE) é baseada na busca das organizações em realizar suas atividades com uma conduta ética, levando em conta aspectos culturais da natureza, da saúde, da economia e da educação. Assim, a empresa é capaz de implementar ações sociais que resultem na construção de uma sociedade melhor, levando em consideração toda a comunidade e sem comprometer a lucratividade do negócio.

A Responsabilidade Social Empresarial deve focar em dois conceitos: o da transparência — pois tanto o discurso da organização quanto a prática devem caminhar lado a lado — e o dos valores éticos, que nortearão a empresa na construção de uma sociedade mais igualitária.

O que é a norma ISO 26000 e como ela define a RSE ?

A norma ISSO 26000 define a RSE como a responsabilidade assumida por uma organização pelos impactos de suas decisões e atividades sobre a sociedade e o meio ambiente.

Através de um comportamento transparente e ético ela:

  • Contribui para o desenvolvimento sustentável, a saúde e o bem-estar da sociedade;
  • Considera as expectativas dos stakeholders (os stakeholders são pessoas ou entidades afetadas pelas atividades de uma determinada empresa);
  • Está em conformidade com a legislação e em harmonia com as normas internacionais de comportamento;
  • Está integrada em toda a organização e implementada em suas relações.

6 temas básicos indicados pela ISO 26000

  • Direitos Humanos
  • Práticas Trabalhistas
  • Meio Ambiente
  • Práticas de Funcionamento Justas
  • Problemas do Consumidor
  • Participação e Desenvolvimento da Comunidade

A RSE se difere da ação filantrópica, visto que a primeira diz respeito a doações à ONGs e outras instituições. A Responsabilidade Social Empresarial requer planejamento e análise das necessidades sociais, além do estudo de ações que não prejudiquem a saúde do negócio. Para que o conceito seja aplicado de forma eficaz, é preciso que a empresa trace estratégias para sua implementação.

Vantagens da Responsabilidade Social Empresarial

  • Assegura uma imagem positiva da organização perante a sociedade;
  • Fideliza o cliente;
  • Provoca impactos positivos na comunidade;
  • Retém os colaboradores mais qualificados na empresa, pois eles vão preferir trabalhar em uma empresa que prioriza os direitos dos cidadãos e a qualidade de vida;
  • Gera motivação dos profissionais da organização;
  • Aumenta produtividade;
  • Cria diferencial competitivo;
  • Atrai parceiros, fornecedores e investidores que queiram colaborar com a causa social;
  • Eleva as oportunidades para as pessoas impactadas com as ações da empresa;
  • Auxilia a organização a administrar riscos e lidar com gestão de crise;
  • Minimiza a escassez dos próprios recursos da instituição e da natureza.

Aplicar o conceito de Responsabilidade Social Empresarial não é uma tarefa fácil. O primeiro passo diz respeito à mudança cultural nos processos da organização, aliando as ações sociais com o objetivo natural de uma empresa — que é o de gerar lucro. Para tanto, ela precisa, minimizar os riscos, trabalhando de forma sustentável .

Sustentabilidade X Responsabilidade

A sustentabilidade não está só na empresa ou na sociedade, com os patrões ou com empregados, com as pessoas ou com o meio ambiente. Precisa estar nas relações e em toda cadeia do negócio.

Portanto, a melhor forma de avaliar a RSE de fornecedores é através do relacionamento e de toda forma de realizar o negócio, sendo corresponsável pelos insumos e serviços adquiridos, tornando a sua própria prática transparente para a sociedade.

A Responsabilidade Social Empresarial (RSE)  pode ser organizada em quatro critérios para avaliação, informações, conhecimento e aprendizado:

  1. Funcionários e Fornecedores – verificar questões sociais; o respeito a legislação trabalhista; se possui CIPA, sobre princípios e direitos fundamentais no trabalho; liberdade sindical; reconhecimento do direito da negociação coletiva; eliminação de trabalhos forçados e discriminatórios;
  2. Meio Ambiente – verificação da licença ambiental; se a empresa estabelece a gestão de resíduos da construção civil conforme resolução CONAMA e legislação municipal ou estadual vigente; se a empresa possui setor específico para as questões de meio ambiente; se possui algum programa ou investe em tecnologia para conservação de energia e recursos naturais; análise e ciclo de vida de seus produtos.
  3. Comunidade e Sociedade – verificar se a empresa possui política sobre medidas reparadoras em resposta à reclamações e manifestações da comunidade; recebeu reclamações ou manifestações da comunidade ou de organizações da sociedade civil (abaixo-assinado, protestos, petições por questões como: excesso de lixo, geração de mau cheiro, efluentes, excesso de tráfego, interferência nos sistemas de comunicação e outras)
  4. Transparência e Governança – verificar se a empresa possui uma carta de princípios éticos ou uma política socioambiental; se possui na sua política de compra a seleção de fornecedores que sejam licenciados e que não possuam passivos ambientais; se possui política ou, fazem parte da política, práticas anticorrupção; se expõe publicamente seus compromissos éticos por meio de material institucional, pela internet ou por outros meios de comunicação; se atua de acordo com a legislação em vigor; dispõe de conselho consultivo e demonstrações financeiras auditadas; se a empresa segue práticas de preço e concorrência, cumprimento a legislação negando e evitando pirataria, sonegação fiscal, contrabando, adulteração de marcas e falsificação de produtos.
  5. Com ajuda do coaching, a empresa é capaz de obter diretrizes a respeito dos processos que ela exerce, seus impactos na sociedades, o produto/serviço que ela oferece, o mercado ao qual ela está inserida, seu público-alvo e seus profissionais, garantindo que o gestor tenha informações assertivas que garantam a implementação correta da RSE em seu negócio. Isso lhe trará vantagens, valorizando a imagem institucional e ganhando a lealdade de seu cliente.